Beatificação da Madre Candelária

 Image

Hoje, 27 de Abril de 2008, é beatificada, na capital venezuelana, a Madre Candelária de São José (Susana Paz Castillo Ramírez – 1863-1940), virgem, fundadora da Congregação das Irmãs Carmelitas da Ordem Terceira Regular da Venezuela. É a segunda venezuelana a ser elevada aos altares.

A cerimónia solene tem lugar em Caracas e é presidida pelo Cardeal português José Saraiva Martins, perfeito da Congregação para a Causa dos Santos, como delegado do Papa. Presentes, em nome da nossa Ordem, o Prior Geral – Pe. Fernando Millán Romeral, O. Carm.; o Conselheiro para as Américas, Pe. Raul Maravi, O. Carm. e o postulador da causa, Pe. Felip Amenos Bonet, O. Carm.

Nascida em Altagracia de Orituco a 11 de Agosto de 1863, Susana Paz Castillo Ramírez (seu nome de Baptismo) acolheu com entusiasmo o chamamento de deus à santidade e, desde muito jovem, sobressaiu na prática da caridade viva e efectiva, com a qual atendeu, consolou e curou os doentes e feridos que as contendas bélicas tinham deixado nas ruas da sua cidade natal. Animada pelo prebítero Sixto Sosa, mais tarde Bispo de Cumaná, consagrou-se ao serviço dos doentes no Hospital “Santo António”, fundado em 1903, em Altagracia de Oriuco.A seguir, em conjunto com o padre Sosa, iniciou a fundação de uma nova Congregação Religiosa dedicada ao serviço dos pobres, a qual foi definitivamente constituída em 31 de Dezembro de 1910, com o nome de “Congregação das Irmazinhas dos Pobres de Altagracia de Orituco”. Posteriormente, a Congregação agregou-se à Ordem do Carmo e tomou o nome de Terceiras Carmelitas Regulares. Hoje são conhecidas como Irmãs Carmelitas Venezuelanas ou Carmelitas da Madre Candelária.

Com muito entusiasmo, apesar das dificuldades económicas da Congregação e da escassez geral de recursos, a Madre Candelária realizou um extenso trabalho de atenção aos feridos das guerras e aos doentes mais pobres, manifestando uma grande confiança na Divina Providência e amor intenso aos mais necessitados. Fruto dos seus esforços foi o estabelecimento de vários hospitais nas planícies e no oriente do país, quando a atenção do Estado à saúde era muito deficiente.

Pelo seu ardente amor a Deus e pela sua entrega generosa e abnegada aos pobres, sob a direcção dos bispos e em companhia das religiosas da sua congregação, esta nova beata venezuelana é hoje exemplo de virtudes, das quais se destaca a sua fé viva e intensa em Jesus Cristo, nosso único Salvador, a união e o amor à Igreja (particularmente aos Bispos da Venezuela) e a mais viva caridade para com os mais pobres. - Fonte: CITOC -

Caminhos Carmelitas

  • A fortaleza
    A fortaleza. Faz-nos imensa falta para superar os medos, os cansaços, para saber viver com as próprias fragilidades sem desanimar e com as fragilidades do mundo sem violência nem cinismo. A...
  • São as “grandes coisas” que festejamos na Assunção de Maria
    “A minha alma engrandece o Senhor e o meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador” (Lc 1,46-47). Nesta frase há dois verbos: engrandecer e exultar. Maria exulta por causa de Deus....
  • Solenidade da Assunção de Nossa Senhora
    – O caminho de Maria rumo ao Céu começou com aquele «sim» pronunciado em Nazaré, como resposta ao Mensageiro celeste que lhe anunciava a vontade de Deus em relação a ela. Na realidade, é...
  • 19º Domingo do Tempo Comum – Ano C
    “Estai vós também preparados“ (Lc 12, 40) Na página evangélica do 19º Domingo do Tempo Comum – Ano C, Jesus apela aos seus discípulos para que vivam em constante vigilância para captar a...
  • Santa Teresa Benedita da Cruz – 9 de Agosto
    Hino ao Espírito Santo I Quem és tu, / Doce luz que me preenche / e ilumina a obscuridade do meu coração? / Conduzes-me como a mão de uma mãe / E se me soltasses, / não saberia nem dar mais um...
  • Tudo me fala de ti. Só tu és
    Tudo o que vejo me leva para Deus. O mar na sua imensidade faz-me pensar em Deus, na Sua infinita grandeza. Então sinto sede do infinito. Quando penso que quando for carmelita, se Deus quiser, terei...

Santos Carmelitas