Bodas de Ouro Sacerdotais de D. Vitalino Dantas

alt

Santuário do Sameiro - Braga

03. Agosto 1968 | 03. Agosto. 2018

Parada de Gatim - Vila Verde (Braga)

04. Agosto.1968 | 05. Agosto. 2018


António Vitalino Fernandes Dantas nasceu em Santa Marinha de Oleiros, Vila Verde, Arqui­diocese de Braga), a 3 de Novembro de 1941.

Filho de Manuel da Silva Dantas e de Rosa Augusta Fernandes.

Aos 5 anos foi residir para Parada de Gatim, também do concelho de Vila Verde.

Entrou no Seminário Carmelita da Falperra em 1957.

Fez o Noviciado em Longra-Douro (Felgueiras) em 1960 / 61; a Profissão Simples, em 8 de Setembro de 1961 e a Solene, em 10 de Julho de 1965.

Iniciou os estudos de Filosofia e Teologia no Instituto "Sedes Sapientiae" dos Padres Domini­canos, em Fátima, de 1961 a 1966 e terminou-os na Universidade de Mogúncia, Alemanha, que frequentou a partir de 1966.

Recebeu a ordenação sacerdotal a 3 de Agosto de 1968, no Santuário do Sameiro, Braga, das mãos de D. António Ribeiro.

Continuou os estudos nas universidades de Mogúncia e de Friburgo, na Alemanha, ocupan­do-se, simultaneamente, na pastoral dos emigrantes.

Regressou a Portugal em 1966, onde exerceu diversos cargos na Ordem do Carmo em Por­tugal, à que pertence.

Foi pároco de Santo António dos Cavaleiros e Frielas de 1977 a 1984.

Bispo Auxiliar do Patriarcado de Lisboa, nomeado a 3 de Julho de 1996, com o título de Tlós, na Turquia, e ordenado a 29 de Setembro de 1996, na igreja dos Jerónimos, pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, D. António Ribeiro.

Anteriormente, a nível diocesano, foi membro do Conselho Pastoral Diocesano e Consultor eclesiástico do Secretariado Executivo da Comissão Nacional das Comemorações dos 5 Sécu­los de Evangelização e Encontro de Culturas Reitor da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, no Largo do Rato, em Lisboa.

Em 25 de Janeiro de 1999 foi nomeado bispo de Beja, tendo tomado 11de Abril de 1999.

Ao atingir os 75 anos de idade, como prescrito nas leis da Igreja, apresentou a Sua Santidade o Papa Francisco o seu pedido de resignação, que lhe foi concedido.

Pode ver mais em: https://www.youtube.com/watch?v=VMQUagCnAac

 

Caminhos Carmelitas

  • A fortaleza
    A fortaleza. Faz-nos imensa falta para superar os medos, os cansaços, para saber viver com as próprias fragilidades sem desanimar e com as fragilidades do mundo sem violência nem cinismo. A...
  • São as “grandes coisas” que festejamos na Assunção de Maria
    “A minha alma engrandece o Senhor e o meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador” (Lc 1,46-47). Nesta frase há dois verbos: engrandecer e exultar. Maria exulta por causa de Deus....
  • Solenidade da Assunção de Nossa Senhora
    – O caminho de Maria rumo ao Céu começou com aquele «sim» pronunciado em Nazaré, como resposta ao Mensageiro celeste que lhe anunciava a vontade de Deus em relação a ela. Na realidade, é...
  • 19º Domingo do Tempo Comum – Ano C
    “Estai vós também preparados“ (Lc 12, 40) Na página evangélica do 19º Domingo do Tempo Comum – Ano C, Jesus apela aos seus discípulos para que vivam em constante vigilância para captar a...
  • Santa Teresa Benedita da Cruz – 9 de Agosto
    Hino ao Espírito Santo I Quem és tu, / Doce luz que me preenche / e ilumina a obscuridade do meu coração? / Conduzes-me como a mão de uma mãe / E se me soltasses, / não saberia nem dar mais um...
  • Tudo me fala de ti. Só tu és
    Tudo o que vejo me leva para Deus. O mar na sua imensidade faz-me pensar em Deus, na Sua infinita grandeza. Então sinto sede do infinito. Quando penso que quando for carmelita, se Deus quiser, terei...

Santos Carmelitas